Orientações sobre higiene bucal

A boa escovação previne as cáries e as doenças gengivais. Para isso ela deve ser realizada da maneira correta e com as escovas indicadas para você. Quem pode orientá-lo é o seu dentista!

Escova dental:

A escova dental apropriada é aquela com cerdas arredondadas e macias e com a cabeça pequena. Existem também no mercado, escovas dentais próprias para a higiene de aparelho fixo; com pequenos tufos (unitufo, bitufo); e escovas que limpam entre os dentes (interdentais). As escovas devem ser substituídas no prazo máximo de três meses. Indicamos as escovas da marca Curaprox, por terem alta eficiência na escovação e na proteção gengival.

Creme dental:

É indicado de acordo com a situação bucal de cada paciente. Cremes dentais do mercado brasileiro contêm flúor, que ajuda a prevenir o desenvolvimento da cárie e tornar as camadas superficiais do esmalte mais resistentes. Além disso, caso o paciente tenha sensibilidade, o cirurgião dentista indicará cremes que contém dessensibilizantes, substâncias responsáveis por tratar a sensibilidade dentinária.

Fio dental:

O uso do fio dental diariamente é muito importante. Passe o fio entre os dentes suavemente, sem forçar, em todos os dentes. Para pacientes com aparelho fixo pode-se lançar mão do “passa fio” (uma agulhinha de plástico), que ajuda a passar o fio entre os dentes.

Técnicas de escovação:

A duração da escovação é importante para uma correta higienização. Existem diferentes técnicas que devem ser ajustadas individualmente a cada paciente: .

  1. Técnica de Stillman – Fazer movimentos circulares suaves com a escova. É uma técnica eficiente por ser de fácil assimilação.
  2. Técnica de Bass – Fazer movimentos com a escova no sentido da gengiva para os dentes, como se estivesse “varrendo” e, ao mesmo tempo, massageando a gengiva. Isso ajuda a remover a placa bacteriana e a manter a gengiva saudável.

Outros procedimentos para melhorar a higiene bucal:

Se necessário, o cirurgião dentista indicará o uso de bochechos com soluções fluoretadas (fluoreto de sódio a 0,05%,) ou bochechos com outras soluções específicas para cada caso.

É indicado também o uso de raspadores linguais para a higienização da língua.